Concerto gratuito celebra os 25 anos da Filarmônica e Coral do Amazonas

A Amazonas Filarmônica e o Coral do Amazonas realizam um concerto especial na segunda-feira (14), véspera de feriado da Proclamação da República. A apresentação ocorrerá às 20h, no palco do Teatro Amazonas. A entrada é gratuita.

O repertório contará com ópera, gênero artístico que exige qualidade técnica e vocal. Com duração de 1h10, o espetáculo “Amazonas Filarmônica e Coral do Amazonas – 25 anos” contemplará obras de Giuseppe Verdi e Richard Wagner.

Segundo a Secretaria de Cultura e Economia Criativa, a escolha da data do espetáculo coincide com a apresentação do primeiro concerto da Amazonas Filarmônica na capital, 14 de novembro de 1997.

“A Amazonas Filarmônica se afirmou como uma das principais orquestras do Brasil e, graças ao Festival Amazonas de Ópera, ganhou visibilidade internacional. A excelência técnica e artística da Filarmônica é um motivo de orgulho para os amazonenses”, disse o secretário de Cultura, Marcos Apolo Muniz.

O Coral do Amazonas também surgiu em 1997. “São músicos com uma qualidade técnica que se adaptam aos mais diversos repertórios. O corpo artístico possui uma estrutura profissional completa, que poucos coros do país dispõem”, disse Apolo.

Direção e regência

O maestro titular e diretor artístico da Amazonas Filarmônica, Luiz Fernando Malheiro, regente da noite dedicada aos 25 anos dos grupos artísticos, destacou que a orquestra é uma das mais versáteis do Brasil.

“A orquestra transita com a mesma facilidade pelo repertório sinfônico, lírico de óperas e pelo repertório de dança, balé clássico. Além de fazer concertos “crossover”, passando por músicas de cinema e popular”, disse.

Formada por 91 músicos, entre estrangeiros e brasileiros, a Filarmônica tem, aproximadamente, 20 amazonenses.

O Coral do Amazonas, composto por 64 cantores, tem como diretor artístico e maestro titular, Otávio Simões. O coro é pautado por diversas apresentações, ensaios e rotinas de estudo. Segundo Otávio, os cantores participam, constantemente, de cursos de aperfeiçoamento: idiomas – italiano e francês – artes cênicas, expressão corporal, teoria musical, preparação vocal, entre outros.

“Procuro sempre colocar um repertório diversificado. Isso sempre foi uma das características do coro. Além de ópera, eles cantam música popular, erudita, mesmo sem acompanhamento de piano e orquestra. O importante é que eles estejam bem flexíveis a qualquer tipo de repertório”, ressaltou o diretor do coral.

Compartihe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
E-MAIL

Veja também: