Prefeitura apresenta exposição fotográfica que conecta passado e presente em Manaus

Com o tema “O chão que você pisa, seu passado já pisou”, a Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), inaugura, nesta terça-feira, 21/5, a exposição fotográfica “Chão Velho”, da fotógrafa e arquiteta Clíssia Monteiro. O evento será aberto às 19h, no mirante Lúcia Almeida, localizado no centro histórico da capital.

O projeto “Chão Velho”, idealizado por Clíssia Monteiro, celebra e preserva a rica história cultural de Manaus por meio de 30 fotografias que capturam a beleza e a nostalgia dos pisos históricos da cidade. Os ladrilhos hidráulicos, que adornam diversos prédios e calçadas da capital amazonense, são um testemunho duradouro dos tempos áureos da borracha, quando esses elementos arquitetônicos eram importados da Europa para embelezar as construções locais.

Na avaliação do diretor-presidente da Manauscult, Reginei Rodrigues, a exposição permite que as futuras gerações possam continuar a contar e a viver a história de Manaus. “Chão Velho não é apenas uma exibição de fotografias, mas uma jornada ao passado que nos permite valorizar e preservar nossa rica herança cultural. É uma oportunidade única para os cidadãos de Manaus se reconectarem com a história que está literalmente sob seus pés”, sugeriu.

Entre os locais retratados nas fotografias, estão o Hospital Beneficente Portuguesa, a Santa Casa de Misericórdia, a Igreja Nossa Senhora dos Remédios e estabelecimentos comerciais históricos como o Armarinho Montemurro e uma loja de importados na rua Marcílio Dias.

O projeto “Chão Velho” tem perfil na rede de relacionamentos Instagram. A iniciativa viralizou e alcançou grande popularidade, com forte engajamento em Manaus e outras capitais brasileiras. Pessoas de diversas regiões começaram a fotografar chãos históricos e marcar o perfil do projeto, criando uma conexão interestadual por meio das redes sociais.

Entre pisos, memórias e cliques

Clíssia Monteiro é arquiteta, urbanista e fotógrafa de arquitetura. Nascida e criada em Manaus, ela contou que desde a infância nutre uma profunda paixão pelo centro histórico da cidade, onde imaginava os barões da borracha caminhando pelas casas antigas. Essa fascinação inspirou a criação da frase: “O chão que você pisa, seu passado já pisou”.

Questionada sobre sua inspiração para iniciar o projeto e agora realizar a exposição no mirante, a fotógrafa explicou. “Passei a notar os pisos que caminhava de uma forma mais poética. ‘Chão Velho’ é arte estampada, seja em ladrilhos hidráulicos ou pisos de madeira. É memória afetiva, que lembra a mãe, a avó, e é carregado de sentimentos! Trazer minha exposição aqui para o mirante Lúcia Almeida é uma realização, é fazer com que mais pessoas conheçam a história da região por meio da arquitetura dos pisos”, justificou a idealizadora da exposição.

A arquiteta e fotógrafa participou de diversas exposições coletivas, incluindo “Descubra Manaus”, sob a curadoria de Selma Carvalho, e “The Human Light”, sob a curadoria de Sérgio Cardoso, além de uma exposição no Varal de Exposição do Monóculo. Foi vencedora do Concurso de Fotografia “Amazoniar”, levando suas fotografias ao Museu do Amanhã, na cidade do Rio de Janeiro, e à COP26 em Glasgow, Escócia.

Em 2022, Clíssia foi campeã da Copa do Brasil de Fotografia na etapa Grandes Teatros, com exibições na Cervejaria Bohemia, na cidade de Petrópolis e no Theatro Municipal, ambos no Rio de Janeiro. Em 2023, conquistou o segundo lugar na Copa do Brasil de Fotografia.

Para mais informações, visite a página oficial do projeto no Instagram: @chaovelho.

Compartihe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
E-MAIL

Veja também: