Bebê encontrado no lixo em barco em Manaus ainda estava vivo no momento do resgate

Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (13), na Delegacia Geral da Polícia Civil, no Centro de Macapá, a corporação detalhou o laudo pericial realizado no corpo do bebê, do sexo masculino, encontrado morto em uma embarcação na quinta-feira (9) na área portuária do município de Santana, na Região Metropolitana.

De acordo com o delegado Nicolas Bastos, da 1ª Delegacia da cidade, a perícia apontou que o bebê nasceu de parto espontâneo e com vida. Exames confirmaram que ele ainda estava respirando quando foi limpo pelos dois e deixado no lixeiro.

“A criança ainda estava respirando quando foi jogada no lixo, onde morreu asfixiada. Quando nós prendemos os suspeitos, eles já estavam planejando ir para Oiapoque, por isso prendemos os passaportes. É capaz do crime ter sido cometido pelo feto ser fruto de um adultério, pois o casal tinha relações extraconjugais”, explicou.

Ainda segundo o delegado, a mulher é cidadã francesa e o homem tem dupla cidadania, brasileira e francesa. Ambos moram em Caiena, capital da Guiana Francesa, departamento ultramarino do país europeu que faz divisa com o Amapá.

A polícia informou que, após depoimento, o homem alegou não ter ciência do crime. A mulher revelou que a criança nasceu morta. Os dois estão em prisão preventiva, desde sábado (11).

Imagens do circuito de segurança da área portuária ajudaram a investigação a encontrar o casal. Eles ainda estavam no município quando foram presos.

Copyright © G1


Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Você também pode gostar: