A premiada foto de cometa que nunca mais será visto na Terra

Uma fotografia rara de um cometa que nunca mais será visto da Terra ganhou um prestigioso prêmio de fotografia.

A imagem mostra um pedaço da cauda do cometa Leonard se partindo e sendo levado pelo vento solar.

O cometa fez uma breve aparição próximo à Terra depois de ser descoberto em 2021, mas agora deixou o nosso Sistema Solar.

O Observatório Real de Greenwich, em Londres, realiza a competição de Fotografia de Astronomia do Ano e classificou a imagem como “surpreendente”.

As imagens farão parte de uma exposição no Museu Nacional Marítimo, em Londres, a partir de sábado (17/9).

“Os cometas parecem diferentes de hora em hora — são coisas muito surpreendentes”, explicou o fotógrafo vencedor Gerald Rhemann, de Viena, na Áustria.

A foto foi tirada em 25 de dezembro 2021 de um observatório na Namíbia, que abriga alguns dos céus mais escuros do mundo.

Rhemann não tinha ideia de que a cauda do cometa se desconectaria, deixando um rastro de poeira cintilante atrás.

“Fiquei absolutamente feliz em tirar a foto. É o ponto alto da minha carreira de fotógrafo”, contou à BBC News.

O astrônomo Ed Bloomer, que foi um dos juízes da competição, disse que a imagem é uma das melhores fotografias de cometas da história.

“A astrofotografia perfeita é a colisão da ciência e das artes. A foto vencedora não é só tecnicamente sofisticada e projeta o espectador no espaço escuro profundo, como também é visualmente cativante e emotiva”, descreveu Hannah Lyons, assistente de arte dos Museus Reais de Greenwich à BBC News.

Os juízes analisaram mais de 3 mil inscrições de todo o mundo.

Para a imagem vencedora na categoria Jovem Fotográfo de Astronomia do Ano, os chineses Yang Hanwen e Zhou Zezhen, ambos com 14 anos, trabalharam juntos para fotografar Andrômeda, uma das galáxias vizinhas mais próximas da Via Láctea.

A imagem mostra as cores impressionantes de uma galáxia que fica perto de nós. “Acho que esta foto mostra o quão lindo é o nosso vizinho mais próximo”, disse Hanwen.

A categoria Jovem Fotógrafo de Astronomia do Ano contempla apenas competidores menores de 16 anos.

Lyons disse que ficou “deslumbrada” com a qualidade dos jovens fotógrafos, “que produziram as imagens mais notáveis”.

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Veja também:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp