14 de janeiro de 2021

Em posse na CMM, prefeito David Almeida fala sobre curto orçamento da prefeitura e canta louvor com sua filha

Neste primeiro dia de 2021, o novo prefeito de Manaus, David Almeida, e o vice-prefeito Marcos Rotta, tomaram posse na Câmara Municipal de Manaus (CMM), juntamente com os vereadores, às 14h.

Após o juramento e assinatura do termo, o atual prefeito de Manaus, David Almeida, fez seu discurso, onde pode relembrar o período quando entrou na política há 24 anos, quase que por acidente, afirmou.

“Não projetei nem prospectei um dia ser político. Entrei na política para ser cabo eleitoral, entregar santinhos. Quero agradecer os que entraram comigo. Não ganhei a eleição de 2004, mas em 2006 fui eleito deputado estadual”, disse.

David agradeceu a honra e privilégio de estar ali com os 41 eleitos: “A população espera muito de todos. Que

possamos trabalhar e dar o melhor de nós para a cidade de Manaus”.

David recebe a cidade de Manaus com um orçamento com menos R$ 600 milhões para 2021, do que o orçamento executado em 2019. Por isso afirmou que será implacável com o desperdício e gastos supérfluos. “Nossos adversários são a falta de atendimento na saúde, péssimo transporte coletivo, cobrar metas e resultados. Precisamos implementar as ações de governança da iniciativa privada para o setor público, de eficiência, de gestão, de méritos, de cobrança, para que os serviços sejam eficientes, de excelência.”, afirmou.

Às 16h, o prefeito receberá a chave da cidade na sede da Prefeitura de Manaus, no bairro Compensa.

Um minuto de palmas para as vítimas de Covid-19

David Almeida agradeceu sua família, filha – a quem chamou de primeira-filha, fazendo alusão à primeira-dama-, seus pais e amada esposa. Disse que o pai não pode vê-lo como deputado, que sua mãe o viu como governador, mas não pode vê-lo como prefeito. Ela faleceu no dia 28 de Novembro, vítima de Covid-19.

“O mundo todo se fecha por algo que está vitimando milhares de pessoas e muitos se foram na nossa cidade”, disse David. Em seguida pediu um minuto de palmas às vítimas da Covid-19.

Ao final do discurso, afirmou que apesar do estado ser laico, ele é cristão e que não poderia deixar de agradecer a Deus. Para isso chamou sua filha e o genro, para cantarem um louvor.

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Veja também:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp