22 de julho de 2024

Mostra da prefeitura reúne resultados de pesquisas científicas realizadas na rede municipal de saúde

Prefeitura de Manaus promoveu, nesta sexta-feira, 7/6, a 7ª Mostra de Pesquisa Científica em Saúde, com a apresentação dos resultados de trabalhos científicos realizados nas unidades da rede municipal de assistência por pesquisadores de várias instituições de ensino superior. Coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), por meio da Escola de Saúde Pública (Esap Manaus), o evento integrou a agenda do 1º Seminário de Integração Ensino-Serviço-Comunidade, também promovido pela secretaria.

Realizada no Centro Universitário Luterano de Manaus (Ceulm/Ulbra), situada no bairro Japiim, zona Sul, das 14h às 17h, a mostra trouxe trabalhos em quatro áreas: Gestão e Processo em Saúde, Atenção Primária, Vigilância Epidemiológica e Atenção Psicossocial. Além dos pesquisadores, o evento reuniu alunos de graduação e pós-graduação, servidores e trabalhadores da saúde envolvidos com as diversas temáticas de pesquisas relacionadas à saúde básica.

A chefe do Núcleo de Pesquisa, Extensão e Inovação em Saúde da Esap Manaus, Márcia Poinho, uma das coordenadoras da mostra, explica que o evento constitui uma devolutiva de projetos de pesquisa conduzidos nos cenários de práticas da Semsa, em que pesquisadores apresentam seus trabalhos e resultados ao público, incluindo gestores e servidores da saúde municipal.

“A mostra conta sempre com a participação de gestores das unidades envolvidas nessas pesquisas, e com isso há um diálogo sobre os resultados e sobre o que pode ser aprimorado e incorporado como melhoria para os usuários do serviço de saúde”, assinala.

Entre as pesquisas apresentadas, aponta Márcia, estiveram trabalhos de conclusão de curso (TCC), dissertações de mestrado e teses de doutorado.

Trabalhos

Uma das participantes da mostra foi a pesquisadora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Judy Lima Tavares, que apresentou uma pesquisa abrangendo comunicação, vigilância epidemiológica e saúde comunitária, enfocando o trabalho de agentes comunitários de saúde na comunicação com pacientes de tuberculose atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Além de uma ampla pesquisa bibliográfica e documental, ela realizou entrevistas com 12 agentes, de distritos de saúde das zonas urbana e rural do município, ao longo de um mês.

A partir do estudo, Judy apontou a importância da atuação dos agentes não apenas com foco nas normativas de saúde do SUS como ainda no contexto do paciente, na medida em que eles desenvolvem uma relação próxima e vivenciam questões que dificultam o tratamento de saúde, como vulnerabilidade econômica e dependência química.

“No aspecto da comunicação, que é o foco do meu estudo, o agente comunitário precisa ir além da mediação e entender questões contextuais, desenvolvendo um olhar clínico, analítico e resolutivo para as demandas dos pacientes em relação ao tratamento”, afirma.

Judy conta que a ideia do trabalho surgiu quando ela teve diagnóstico de tuberculose, há cerca de oito anos. “Mesmo sendo professora, de classe média e tendo suporte familiar, vivi momentos desafiadores, que são muito maiores para pessoas em situação de vulnerabilidade”, relata.

A partir do trabalho, que resultou na tese de doutorado que defendeu na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Judy já planeja cursos e ações formativas em comunicação, como atividade de extensão no Encontro das Águas, grupo de pesquisa em Comunicação e Saúde na Amazônia que conduz na Ufam, ao lado de Ivânia Vieira.

“Vamos convergir esforços nesse espaço, em diálogo constante com o Núcleo de Pesquisa da Esap, para a condução das pesquisas empíricas, com o propósito de descobrir novas formas como a comunicação pode contribuir para a área da saúde”, pontua.

Outro participante da mostra, o pesquisador Diorges Boone da Silva exibiu resultados da pesquisa que desenvolveu na área da Atenção Psicossocial, avaliando os benefícios da aromaterapia e da massagem para alívio da ansiedade e da depressão entre usuários atendidos na Unidade de Saúde da Família (USF) Fátima Andrade, no bairro Novo Aleixo, zona Norte. A experiência, ele relata, teve bons resultados, dentro da abordagem proposta aos participantes.

“São resultados promissores, no sentido do incentivo a novas políticas para implementação das práticas integrativas na rede de saúde, ao financiamento dessa implementação e mais pesquisas voltadas a essas práticas”, notou o pesquisador, que defendeu o trabalho como dissertação de mestrado na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP-USP).

Segundo Diorges, que é também enfermeiro na rede estadual de saúde e massoterapeuta, as práticas integrativas abrangem terapêuticas e abordagens alternativas ao modelo biomédico tradicional, tendo sido institucionalizadas há pouco tempo no SUS, em Manaus. Ainda que pouco conhecidas, porém, elas chamam a atenção e são bem recebidas pelos usuários.

“Elas despertam a curiosidade das pessoas. Durante o trabalho na USF Fátima Andrade, observei que a população se sentiu motivada, muitos usuários e participantes me procuraram para receber a abordagem”, apontou.

Seminário

A 7ª Mostra de Pesquisa Científica da Esap Manaus integrou a agenda do Seminário de Integração Ensino-Serviço-Comunidade. Em formato presencial e on-line, o evento de âmbito nacional foi idealizado a partir do reconhecimento de demandas que têm se tornado mais presentes na área da saúde, em particular na atenção básica, para oferta de ações contínuas de educação em saúde para profissionais, gestão de cenários de práticas e projetos de extensão para discentes na área da saúde, e gestão de programas de residências no âmbito da rede básica.

Aberto na quarta-feira, 5/6, o encontro se encerrou nesta sexta, 7/6, tendo como objetivo construir caminhos para ressignificar papéis com atribuições e responsabilidades bem definidas, mas que se mesclam no processo de aprender, ensinar e cuidar em saúde. O evento contou com atividades diversas, incluindo conferências, mesas-redondas, oficinas, minicursos, apresentação oral de trabalhos e apresentações culturais.

Compartihe:

Você também pode gostar