Com retorno às aulas presenciais, alunos da rede estadual passam a focar nos vestibulares

Preparar-se para o vestibular exige disciplina e dedicação e, diante do cenário pandêmico vivido neste ano, a exigência ficou ainda maior. Muitos alunos da rede pública estadual estão focados na preparação para começar a vida acadêmica em 2021, sobretudo nas universidades públicas e com o auxílio de bolsas de estudo. Para isso, a ajuda dos professores da Secretaria de Estado de Educação e Desporto e os conteúdos do programa “Aula em Casa” estão sendo fundamentais.

Filha única de pais que não têm nível superior, Caroline Mississipe, de 17 anos, quer cursar Fisioterapia e dar esse orgulho à família, de quem tem todo o apoio para estudar. Ela cursa a 3ª série do Ensino Médio no Colégio Amazonense Dom Pedro II e diz que se dedica a cada dia mais, mesmo durante a pandemia.

“Quando as aulas pararam, continuei estudando em casa e procurando assuntos, matérias, formas de me sair melhor. Quero cursar Fisioterapia ou Medicina e estou estudando bastante. Meu cronograma é focado em tudo, não tem algo específico, faço pesquisa e estudo. Estou tendo total apoio dos meus professores, durante esse tempo em casa eu tirei muitas dúvidas com eles e lhes agradeço muito por isso, porque, apesar de eu estar estudando com outros [professores], eu os procurava quando tinha dúvida e eles davam todo apoio, mandavam atividades e exemplos”, ressalta a jovem.

O colega dela, Herick França, 17, almeja o curso de Administração e não descarta bolsas de estudo nas universidades particulares. “Estou me preparando desde o 1º ano e buscando formas alternativas de estudar em casa, agora em 2020, com essa pandemia, foi muito bom ter o ‘Aula em Casa’, conhecer formas diferentes de estudar”, conta ele, que vem se dedicando com bastante afinco.

“Estava acompanhando as aulas e estudava mais umas duas horas. Agora, na volta às aulas, os professores estão passando atividades que favorecem o conteúdo do vestibular, simulados, provas menores e atividades pelo Classroom (plataforma on-line voltada a atividades acadêmicas), tudo para facilitar nossa aprendizagem. Acho que nós temos que procurar todas as alternativas, mas meu foco são as públicas”, afirma.

Assim como os colegas das escolas tradicionais, os alunos da Escola Estadual (EE) Márcio Nery, no bairro Cachoeirinha, zona sul de Manaus, também estão focados. Por lá, Dayssa Costa, que quer cursar Odontologia, segue estudando com os conteúdos do “Aula em Casa” e tirando dúvidas com os professores. Ela já fez duas provas do Sistema de Ingresso Seriado (SIS) e do Processo Seletivo Contínuo (PSC), e nesse ano vai fazer a última. Além disso, tem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que pode dar mais oportunidades de ingressar em uma universidade.

“Eu estava recebendo assuntos pelos grupos de estudo da escola. Em casa, eu pesquiso e faço os exercícios. Para a redação, o meu palpite é o que está acontecendo agora, a pandemia, e gravidez na adolescência, que sempre bate na mesma tecla. Minha professora de Língua Portuguesa passa redação para que a gente se prepare, porque o que ela mais quer é que a gente consiga uma boa pontuação no vestibular”, conta a estudante.

Foco – Tem quem prefira os grupos de estudo e tem quem prefira estudar sozinho, como o Charlis Souza, 17, também aluno da EE Márcio Nery. Ele diz que não gosta de assistir à televisão e, por isso, preferia “navegar” na Internet para ter acesso ao “Aula em Casa”, além de procurar em livros os assuntos de interesse para o curso que quer fazer, Ciências da Computação.Para ele, o suporte dos professores também é importante. “Estou focando em Matemática, procurei uns cursos de programação e técnico em informática, que é para entrar na faculdade com um conhecimento a mais. Temos grupos de alunos e professores, onde passam assunto, atividades e a gente debate. Como eu gosto de estudar sozinho, às vezes, aparece uma dúvida, então, é fácil eu entrar em contato com o professor e tirá-la com ele. Acho que é importante focar no que se gosta de fazer e, com esse foco, você vai achar algo que lhe ajude a entender o vestibular. É o que eu sempre fiz”, frisa o estudante.

Vestibulares – O SIS, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), será realizado nos dias 10 e 11 de janeiro de 2021, e o vestibular, no dia 12. O PSC, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), ainda está sem data definida. O Enem será aplicado nos dias 17 e 24 de janeiro, para quem optou por fazer a prova física, e nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro, para quem optou pela prova digital.

FOTOS: Drance Jezus

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Veja também:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp