Com uma extensa carreira a atriz e cantora Tânia Ferreira encanta com sua personagem em novo filme

Tânia Ferreira fez escola com os premiados diretores, Amir Haddad e Augusto Boal. Passou por Nova York, no Actors Studio com Madeleine Sherwood. Estudou com o diretor de teatro, TV e cinema, Moacyr Góes e com o ator e diretor Antônio Pedro.

A atriz atuou em inúmeras peças teatrais. Ela destaca sua estreia nos palcos cariocas na ópera-cordel sobre Lampião – Concerto para Virgulino sem Orquestra, dirigida por Luiz Mendonça. Outro ponto alto é sua participação no musical Galileu Galilei onde foi dirigida por Marcos Paulo e Anselmo Vasconcelos; e ainda em A Vedete do Subúrbio com direção de José Maria Rodrigues e em Acordes, sob direção de Zé Celso – “um dos mais revolucionários diretores teatrais do país”.

Na década de 80, Tânia fez parte do elenco do filme Fruto do Amor com direção do cineasta Milton Alencar; atuou sob a direção de Zé Celso em Rei da Vela. Está em AMENIC – Entre O Discurso e A Prática. AMENIC foi premiado como MELHOR FOTOGRAFIA no Rio Cine Festival 1985.

O filme Navalha na Carne, com direção de Neville D’ Almeida é mais um dos títulos presente no extenso currículo de. Sem esquecer, entre outros, do curta Gol Contra de Pênalti, vencedor do Festival do Minuto de 2008 no Rio de Janeiro.

Mais recentemente, atuou no curta Saravá Meu Pai e no longa A Indefectível Missão de Renildo Salvador, onde faz a co-protagonista Marilda – uma viúva neurótica.

Foi José Wilker, então diretor, quem levou a atriz para a Rede Globo. Ela elenca sua participação nos humorístico Os Trapalhões e Zorra Total; no seriado O Bem-Amado – dirigida por Régis Cardoso contracenando com o grande Paulo Gracindo.

“Eu tinha pouco mais de 20 anos quando participei do seriado, estava apavorada, minha personagem interagia com o protagonista. Com seu jeito simples e generoso, Paulo Gracindo, pegou na minha mão… conversou comigo e me acalmou. As cenas saíram lindíssimas. Fiquei maravilhada”, lembra a atriz com nostalgia.

Ainda na Rede Globo, a atriz tem participações em diversos outros programas. E não para aí! Tânia Ferreira atuou nas novelas Champagne, O Clone, Desejo de Mulher e Brava Gente.

Versátil e cheia de talento, fez parte do coro no Show Golden Brasil, sob direção de Maurício Sherman, e participou por anos do naipe de contraltos do Conservatório Brasileiro de Música. Tânia também esteve cantando junto com o maestro João Roberto Kelly.

Seguindo a tradição da família Ferreira, Tânia – filha de Ivan Ferreira (um dos autores, entre outras, da marchinha ME DÁ UM DINHEIRO AÍ), também compõe marchinhas de carnaval e outros estilos.
Pecado Vermelho


Tânia Ferreira dá vida a Da. Carmem, uma senhora doce e meiga, mas enérgica quando necessário. Como uma boa governanta administra e cuida para que tudo na casa fique em ordem. Sobre a personagem, ela conta que Da. Carmem tem um amor incondicional por João Pedro (Matheus Rosa, na fase criança).


“João Pedro é uma criança massacrada pela ignorância e brutalidade do pai e Da. Carmem, sempre que pode o protege dessas agressões e destemperos”, completa.


Segundo o roteirista Mácximo Bóssimo, a personagem de Tânia está ligada a figura da Pombagira da Figueira. Ele chama atenção para o fato de que, ao contrário da maioria da pombagiras que se apresentam como moças jovens e formosas, Da. Figueira se apresenta como uma bela mulher mais velha e sábia, atributos da personagem Da. Carmem.


PECADO VERMELHO COM DIREÇÃO DE BELLAMIR FREIRE É UMA PRODUÇÃO FARO RIO PRODUÇÕES E FONTANA PRODUÇÕES
O FILME ESTÁ EM FASE DE FINALIZAÇÃO. AGUARDEM!


Acompanhem as novidades do filme no IG @PecadoVermelhoOFilme

https://www.instagram.com/pecadovermelhoofilme/?igshid=9ay657io6li9

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Veja também:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp