Djokovic culpa staff por erro em ofício de imigração e pede chance para competir

Novak Djokovic decidiu se posicionar novamente sobre a polêmica envolvendo sua participação no Aberto da Austrália, que começa em cinco dias. Em nota divulgada nas redes sociais na madrugada desta quarta-feira (12), o tenista admitiu erro no preenchimento de seu formulário de imigração para entrada na Austrália.

Segundo o sérvio, o documento foi preenchido pelo seu staff e ocorreu “um erro humano e certamente não deliberado”. “Meu agente pede sinceras desculpas pelo erro administrativo em marcar a opção incorreta sobre minha viagem antes de chegar à Austrália”, escreveu o sérvio.

Nesta terça-feira (11), a CNN revelou que a Força de Fronteira Australiana investiga se Djokovic apresentou uma declaração de viagem falsa antes de chegar ao país. No ofício, o tenista declarou não ter viajado nos 14 dias antes de ir para a Austrália, em 5 de janeiro.

Entretanto, fotos compartilhadas em redes sociais mostram que Djokovic participou de eventos na Sérvia e na Espanha na última semana de dezembro de 2021.

Nas redes sociais, o tenista buscou esclarecer o seu histórico de viagens e a sua infecção pela Covid-19 no mês passado. “Estive em um jogo de basquete em Belgrado (Sérvia) em 14 de dezembro, onde muitas pessoas testaram positivo para Covid-19”, escreveu.

De acordo com o sérvio, dois testes de antígeno realizados em 16 e 17 de dezembro apresentaram resultado negativo. Entretanto, um teste RT-PCR feito também no dia 16 retornou positivo, e o tenista foi informado do resultado após participar de um evento com crianças no dia 17.

No dia 18, Djokovic cancelou todos os seus compromissos, exceto por uma entrevista com o jornal francês L’Equipe, realizada em um centro de tênis em Belgrado. “Ao ir para casa após a entrevista para me isolar pelo período necessário, refleti e percebi que cometi um erro de julgamento e deveria ter remarcado este compromisso”, declarou.

Por fim, o tenista informou que não comentará mais o assunto em respeito ao governo australiano e disse que apenas “quer ter a oportunidade de competir contra os melhores jogadores do mundo e atuar diante de uma das melhores torcidas do mundo”.

Nesta terça, o Aberto da Austrália confirmou Djokovic como cabeça de chave número 1 do torneio. O sérvio já retornou aos treinos após um juiz anular a decisão do governo australiano de cancelar seu visto e ordenar sua libertação de um centro de detenção temporária de imigrantes em Melbourne.

No entanto, o número 1 do mundo, que não foi vacinado contra a Covid-19, ainda pode ser deportado. O ministro da Imigração da Austrália considera intervir para tirar o tenista do país.

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Veja também:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp