Um dia após terremoto matar 1.000 pessoas, Talibã diz que trabalho de resgate está quase no fim

Autoridades do Talibã disseram que a operação de resgate na região do Afeganistão onde um terremoto matou 1.000 pessoas já terminou.

O terremoto de magnitude 6,1 atingiu o país no início da quarta-feira, cerca de 160 km a sudeste de Cabul, em montanhas ocupadas por pequenos assentamentos perto da fronteira com o Paquistão.

Dificuldades de comunicação e a falta de estradas adequadas complicaram os esforços de socorro. O país que já enfrenta uma crise humanitária que se deteriorou desde que o Talibã tomou o poder, em agosto do ano passado.

“A operação de resgate terminou, ninguém está preso sob escombros”, disse Mohammad Ismail Muawiyah, porta-voz do comandante militar do Talibã na província mais atingida.

Ministério para Desastres

Apesar da afirmação do porta-voz, uma outra autoridade, Mohammad Nassim Haqqani, porta-voz do Ministério para Desastres, disse que as operações de resgate terminaram os principais distritos, mas que continuavam em algumas áreas isoladas.

A Organização das Nações Unidas (ONU) disse nesta quinta-feira que o Ministério da Defesa do Taliban havia indicado já na quarta-feira que 90% das operações de busca e resgate haviam sido concluídas.

O terremoto matou cerca de 1.000 pessoas e feriu 1.500, disse Muawiyah. Mais de 3.000 casas foram destruídas.

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Veja também:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp