Ministério da Saúde contrata 267 profissionais de saúde para atuar no Amazonas

O estado do Amazonas ganhará, a partir de segunda-feira (4) um reforço de 267 profissionais de saúde, contratados pelo Ministério da Saúde, para atuar no enfrentamento à Covid-19. São 37 médicos, 118 enfermeiros, 57 técnicos em enfermagem, 26 fisioterapeutas, 12 farmacêuticos e 17 biomédicos. Estes profissionais se inscreveram na ação estratégica “O Brasil Conta Comigo”, que está cadastrando e capacitando profissionais, residentes e estudantes da área de saúde de todo o país para atuarem no atendimento à população diante da pandemia de coronavírus, em apoio aos estados e municípios que mais precisam. A contratação destes profissionais é temporária, por até seis meses, e remunerada de acordo com o salário base de cada categoria.

Dos 267 profissionais de saúde que aceitaram o convite para fazerem parte da primeira equipe de apoio no atendimento de pacientes infectados pela doença, 236 moram em Manaus e outros 31 são de outros estados da Federação, que se reunirão em Brasília e embarcarão amanhã (3) à noite para Manaus (AM). Já na segunda pela manhã os profissionais passarão por capacitação presencial para o enfrentamento à Covid-19, incluindo palestra com os psiquiatras da Sociedade Brasileira de Psiquiatria – Regional Amazonas (SBP-AM), Jorge Akel e Cleber Naief, sobre os cuidados com a saúde mental.

Esses profissionais também já realizaram o curso online de Protocolos de Manejo Clínico do Coronavírus (COVID-19), que foi disponibilizado por e-mail após o cadastro na iniciativa “O Brasil Conta Comigo – Profissionais de Saúde”. Segundo definição da Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas, os profissionais devem ser deslocados para atuação no Sistema Único de Saúde (SUS) de Manaus, Tabatinga, Itacoatiara e Manacaparu.

Para apoiar as ações de planejamento técnico e logístico, em conjunto com os gestores do SUS no estado e da capital Manaus, o Ministério da Saúde enviará uma equipe junto com os profissionais, que será coordenada pelo diretor do Departamento de Gestão do Trabalho em Saúde da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), Alessandro Glauco dos Anjos Vasconcelos.

Os profissionais contratados receberão salário base, acrescido de adicional de insalubridade, e compatível com a carga horária específica da sua profissão. O Ministério da Saúde também providenciará alojamento, alimentação, transporte e seguro saúde, além de equipamentos de proteção individual (EPI) para a realização do trabalho.

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Você também pode gostar: