Museu de moda sustentável em Amsterdã oferece visitação guiada on-line

Se os visitantes não podem ir até o museu Fashion For Good, em Amsterdã, ele vai até os visitantes. Enquanto viagens turísticas ainda são inviáveis para boa parte dos países, o primeiro museu de inovações de moda sustentável do mundo está oferecendo um tour virtual guiado para exibir a nova exposição. Engana-se quem acha que a experiência se resume a um simples álbum de fotos on-line com descrições das obras. A proposta é bem mais imersiva que isso. A apresentação ao vivo deixa o resultado parecido com uma experiência presencial.

Tour guiado

O objetivo da nova exposição, intitulada A Cut Above (um corte acima, em tradução livre do inglês), é mostrar como as roupas são produzidas e quais hábitos podem ser tomados para um consumo mais sustentável. A partir daí, os guias exploram formas de buscar a moda e as inovações que vêm sendo trabalhadas por etiquetas inovadoras no mercado.

“As visitas guiadas ao museu são sempre incrivelmente populares e, devido ao fato de estarmos em Amsterdã, não pudemos compartilhar nossas histórias de inovação e exposições com o público global como gostaríamos”, justificou o gerente de experiências Gwen Boon.

Os visitantes virtuais também terão direito a uma série de ferramentas digitais para aprimorar ainda mais a experiência. Além do passeio interativo, há orientações personalizadas, um quiz, GIFs e orientações para que cada um possa refletir sobre seus próprios hábitos e o tema da moda sustentável. O tour digital custa 15 euros e pode ser agendado às terças-feiras e quintas-feiras, pelo site.

A exposição

A mostra A Cut Above estreou na metade de julho e ficará de portas abertas até janeiro de 2021. Tradicionalmente, o museu convida um grupo de estilistas para criarem as coleções para as exibições, que duram seis meses. Desta vez, são seis marcas, que reimaginam a indústria de diferentes maneiras e, segundo o Fashion For Good, são pioneiras no que fazem: Wires (óculos), Flavia La Rocca (vestuário), The Fabricant (vestuário 3D), Unspun (jeans), Senscommon (vestuário) e Enroce (swimwear).

Cada uma delas tem uma abordagem diferente do aspecto sustentável. Há etiquetas que trabalham com tecelagem 3D, enquanto outras promovem o desperdício zero e utilizam material eco-friendly. Uma delas, a The Fabricant, desenha peças conceituais e sofisticadas para samples digitais.

O museu

Descrito como “o primeiro museu interativo para a inovação sustentável da moda”, o espaço foi aberto pela iniciativa de moda circular holandesa Fashion For Good (FFG), em outubro 2018. As experiências oferecidas pelo espaço têm o objetivo de exibir novas tecnologias de moda sustentável, desde como as peças são feitas até o produto finalizado.

Segundo a iniciativa, atualmente, compra-se 60% mais roupas que 15 anos atrás. Deste total, a mesma porcentagem acaba sendo descartada ou incinerada um ano após a confecção. Como plataforma de inovação global, o FFG foi lançado em março de 2017.

Copyright © Metrópoles

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Veja também:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp