22 de julho de 2024

Festival de Parintins: conheça as culturas do setor primário impulsionadas pelo evento

Pesca artesanal, fruticultura e a produção de fibras são as principais atividades beneficiadas pela alta demanda do festival

As fibras vegetais usadas nos adereços do Festival de Parintins e os alimentos que abastecem o município (a 369 quilômetros da capital), durante a festa, são provenientes da agricultura familiar local. O segmento se prepara o ano todo para atender a alta demanda deste período e, para isso, conta com apoio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam). 

As fibras vegetais, principalmente as de juta e malva, são utilizadas na confecção de alegorias, fantasias e adereços. Segundo informações do Relatório de Atividades do Idam (RAT), em 2023, os parintinenses produziram 100 toneladas juta e 70 toneladas de malva. 

No município, 27 produtores rurais se dedicam ao cultivo das fibras, distribuídos na região do Mocambo do Arari, Costa da Águia, Boto e Itaboraí. A atividade contribui para o sustento das famílias e ao desenvolvimento regional, visto que as produções também atendem à indústria como matéria-prima destinada à fabricação de embalagens.  

“A demanda por mão de obra para a produção de fibras de juta e malva colabora para a fixação das famílias no campo, geram ocupação econômica e sustento dos envolvidos na atividade. Nós do Idam visamos a melhoria da cadeia produtiva com uso de novas tecnologias para aumentar a produção e melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores”, destacou o diretor-presidente do Idam, Vanderlei Alvino. 

A cadeia produtiva das fibras é incentivada pelo Governo do Amazonas, por meio do pagamento de subvenção econômica no valor de R$ 0,50 por quilo das fibras. O valor foi reajustado pelo Decreto nº 41.830/2020, que estabelece aumento de 25% a ser pago aos trabalhadores. 

Produção de alimentos

O maior festival folclórico a céu aberto do mundo atrai milhares de visitantes para a Ilha Tupinambarana, o que gera alta demanda por alimentos, sobretudo, que ofereçam experiência gastronômica local, como os peixes tambaqui, matrinchã, jaraqui, acari-bodó e tucunaré. 

As espécies são provenientes da psicultura e da pesca artesanal no município que, juntas, geram ocupação econômica a 392 parintinenses assistidos pelo Idam. 

Ao todo, a Unidade Local (UnLoc) Idam/Parintins atende três mil produtores rurais dedicados às mais diversas atividades, com destaque para agricultura familiar praticada por 760 famílias. Os principais produtos agrícolas do município são farinha de mandioca e derivados, macaxeira, banana, açaí, goiaba, maracujá, melancia, jerimum, hortaliças em geral, além de leite e derivados, produzidos por 105 pecuaristas atendidos pelo Idam. 

Atuação do Idam

No município, o Idam atua por meio da Unidade Local Idam/Parintins com oferta de assistência técnica e extensão rural (Ater), elaboração de projetos de crédito rural e emissão e retificação de documentos fundamentais o exercício das atividades rurais, como Cartão do Produtor Primário (CPP), Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF) e Cadastro Ambiental Rural (CAR). 

Esses documentos são importantes para o acesso de produtores rurais a políticas públicas de fomento ao setor primário, tais como Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Programa de Regionalização da Merenda Escolar (PREME) e Programa Nacional de Alimentação Escola (PNAE).

Compartihe:

Você também pode gostar