Caso Bárbara: menina assassinada após ir a padaria na Grande BH foi estuprada e morta por asfixia, diz Polícia Civil

O chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, Joaquim Francisco Neto, confirmou nesta quarta-feira (10) que a menina Bárbara Victória, de 10 anos, foi estuprada e morta por asfixia.

Bárbara Victória desapareceu em 31 de julho, após sair de casa para comprar pão. O corpo dela foi localizado no dia 2 de agosto, em um matagal de Ribeirão das Neves, na Grande BH.

A polícia concluiu que o autor do crime foi Paulo Sérgio de Oliveira, de 50 anos, que aparece em imagens registradas por câmeras de segurança ao lado da criança. Ele foi encontrado morto dias após o crime. Há indícios de suicídio.

“Não há dúvida sobre a autoria e materialidade”, disse Neto.

O delegado Fábio Moraes Werneck, responsável pela investigação, confirmou a conclusão do exame de DNA colhido no corpo da vítima. O material genético de Paulo Sérgio foi encontrado nas unhas da criança e no cadarço utilizado para amarrar as mãos dela.

O suspeito prestou serviços elétricos na casa da vítima dias antes do homicídio.

“Tudo que temos até agora é que ele agiu sozinho. O motivo (do crime) foi sexual”, afirmou.

O delegado Fábio Moraes Werneck, responsável pela investigação, confirmou a conclusão do exame de DNA colhido no corpo da vítima. O material genético de Paulo Sérgio foi encontrado nas unhas da criança e no cadarço utilizado para amarrar as mãos dela.

O suspeito prestou serviços elétricos na casa da vítima dias antes do homicídio.

“Tudo que temos até agora é que ele agiu sozinho. O motivo (do crime) foi sexual”, afirmou.

Paulo chegou a ser conduzido à delegacia no início de agosto, após a Polícia Militar encontrar, em sua casa, um saco de pão semelhante ao que Bárbara tinha comprado. Ele foi liberado e não ficou preso.

Segundo o boletim de ocorrência da PM, Paulo negou conhecer Bárbara Victória e disse que não era ele quem aparecia nas imagens das câmeras de segurança. Depois, confirmou que aparecia no vídeo e que conhecia Bárbara, mas que não tinha feito nada com ela.

A polícia ainda investiga outros elementos que indiquem a dinâmica do assassinato de Bárbara Victória.

Segundo o delegado, Paulo também é suspeito de outros crimes semelhantes que estão sendo investigados.

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Veja também:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp