17 de julho de 2024

Caso Djidja: CNPJ de salão de beleza da família Cardoso tem registro de atividade veterinária

O CNPJ de uma das unidades do salão de beleza da família de Djidja Cardoso, encontrada morta no último dia 28, em Manaus, tem registro de atividade veterinária. A informação consta na Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim), do Governo Federal.

De acordo com o registro da empresa, além da atuação como salão de beleza, há também atividades como comércio varejista de animais vivos e de artigos e alimentos para animais de estimação, além de atividade veterinária.

Segundo a polícia, a família Cardoso usava cetamina, substância que é um anestésico de uso humano e veterinário que se tornou uma droga ilícita na década de 1980, durante os rituais do grupo religioso “Pai, Mãe, Vida”.

O fármaco é considerado um anestésico dissociativo, isto é, que causa efeitos alucinógenos, sensação de bem-estar e tem potencial sedativo quando usado como droga recreativa.

g1 questionou a polícia para saber se essas atividades que constam no CNPJ do salão de beleza teriam relação para a aquisição da cetamina, droga usada durante os rituais do grupo religioso organizado pela família Cardoso.

O delegado titular do 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Cícero Túlio, que investiga o caso informou que todas as hipóteses são analisadas.

“Nada pode ser descartado”, disse.

Compartihe:

Você também pode gostar

Influente congressista democrata, Adam Schiff pede a Biden que desista de se candidatar a presidente dos EUA

Internacional
17 de julho de 2024