Moraes simula projeto-piloto do teste de integridade das urnas com biometria no TSE

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), realizou nesta quinta-feira (15) uma simulação do projeto-piloto com biometria nos testes de integridade das urnas eletrônicas. A medida deve ser implementada já nas eleições deste ano.

Durante o evento, Moraes anunciou que o projeto será feito em 18 estados e no Distrito Federal, em 56 urnas. Segundo o TSE, essa amostragem representa 8,74% dos 640 aparelhos que já tinham sido destinados pelo tribunal para a realização dos testes de integridade.

As outras urnas serão submetidas ao teste que é tradicionalmente realizado no dia das eleições, pela Justiça Eleitoral, com acompanhamento de uma auditoria externa. Nesse teste, as cédulas impressas e pré-preenchidas são digitadas por servidores da Justiça Eleitoral nas urnas incluídas na testagem. É uma espécie de checagem do registro dos equipamentos eletrônicos.

A novidade agora é que será feito com biometria de eleitores reais. “A partir da liberação da biometria, o teste de integridade é absolutamente idêntico ao que vem sendo realizado desde 2002”, explicou Moraes.

A medida era uma reivindicação do Ministério da Defesa, que integra com o TSE e outros órgãos uma comissão de transparência das eleições.

Alexandre de Moraes afirmou que o projeto será implementado para verificar se o uso da biometria do eleitor vai, de fato, melhorar o teste de integridade das urnas.

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
E-MAIL

Veja também:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp